Santo do Dia

<<  25/11/2018(DOMINGO)  >>

Santa Catarina de Alexandria

Catarina nasceu e viveu na Alexandria no início do século IV. Sua vida era bastante simples e piedosa já que tinha muitas riquezas, visto que o seu pai era rico e ela era muito bonita. A sua conversão e sua paixão por Jesus teve lugar em uma Ermida na qual ela descobriu sua fé. Se batizou e declarou publicamente a sua fé e que não queria homenagear ninguém nem o imperador Maxêncio, mas somente Jesus. Através de uma visão denunciou o imperador por perseguir os cristãos. Metade dos seus convertidos foram queimados vivos por ele. Maxêncio ofereceu a Catarina um casamento real se ela renunciasse a sua fé. A sua recusa fez com que ele a levasse para a prisão. Na prisão, enquanto Maxêncio estava fora, ela converteu a sua esposa e 200 de seus soldados. Na volta ele sentenciou todos a morte e Catarina ao martírio. Os atos do martírio eram descritos por escribas romanos que tinham ordens de relatar o martírio e dar pouca ênfase ao santo sendo martirizado de modo assustar os cristãos, pois a os atos eram expostos no local do martírio e na biblioteca em Roma. O martírio foi feito amarando-a a um poste e girava-se um roda de madeira com pás de ferro junto ao seu corpo e as pás iam dilacerando a carne num suplício infernal. Os estudiosos dizem que as pás eram feitas, na época, de ferro, pelos mesmo ferreiros que faziam as ferraduras dos cavalos, de uma maneira grosseira, sem afiar a lamina, e desta forma, a carne era dilacerada por impacto e não por corte, provocando dores lancinantes, em especial na região dos seios. Mas com Santa Catarina a roda quebrou milagrosamente. Maxêncio enfurecido mandou que fosse decapitada. Diz a lenda que de suas veias jorraram leite em vez de sangue. Suas relíquias estão no Monte Sinai em um monastério com o seu nome. Santa Catarina era uma das vozes que Santa Joana d`Arc ouvia. Ela é invocada contra acidentes no trabalho. Na arte litúrgica da Igreja ela é mostrada segurando a roda com as pás de ferro.