Santo do Dia

<<  01/11/2018(5ª-FEIRA)  >>

Santa Maria, a escrava

Santa Maria, a escrava morreu em 300 DC e era uma escrava de um romano chamado Tértulus. Foi convertida ao cristianismo e estava sempre a orar e a jejuar o que despertava certa desconfiança da sua "Dona" (Algo parecido com a nossa Sinhá, na época da escravatura) que era muito superticiosa. Durante as perseguições do Imperador Diocleciano, Tértulus que gostava muito dela, usou de todos os meios para que ela renunciasse ao cristianismo, tendo inclusive a açoitado e a prendido em uma cela escura, com apenas pão e água, por 30dias. Mas de nada adiantou. Acabou presa e entregue ao procônsul com a acusação de ser uma cristã, a despeito dos esforços de Tértulus para salva-la. Os "Atos do Martirio" de Santa Maria, a escrava, escritos por escribas romanos que tinham ordem de enfatizar apenas o martírio, quase nada dizem sobre ela. Assim também não se sabe se Tértulus, a amava e tinha relações com ela (o que era comum, na época, entre a escrava e seu amo) ou se era apenas uma grande admiração pela sua competência como serva e doméstica. Maria foi duramente martirizada para renunciar a sua fé. Os "Atos" dizem diz que o seu martírio foi tão terrível, que afinal, os espectadores exigiram a sua libertação e ela foi entregue a custódia de um soldado. Santa Maria, a escrava o converteu e ele a ajudou a escapar. Diz a tradição que a paz com que enfrentou seu martírio teria convertido vários espectadores inclusive Tértulus . Diz ainda que ela teria morrido em conseqüência do seu martírio. Outra versão diz que ela teria conseguido sobreviver e veio a falecer bem mais tarde, feliz e de morte natural. Não obstante, ela é venerada como mártir, devido a intensidade dos seus sofrimentos.

São Nuño de Santa Maria

Nasceu em 24 de julho de 1360 em Santares Portugal como Nuño Alvares Pereira. Primo do fundador da família nobre de Braganza. Condestável do Reino de Portugal e Cavaleiro e Prior da Ordem de São João de Jerusalém. Casado. Soldado de carreira, lutador e herói da independência portuguesa na batalha de Aljubarrot em 1385 quando João se tornou Rei. Após a morte de sua esposa em 1422 ele passou a ser membro leigo dos Carmelitas em Lisboa Portugal e em 1423 tomou os votos com o nome de Nuño de Santa Maria. Começou com varias funções de menor porte no Mosteiro e foi um pedidor de esmolas para os pobre de porta em porta. Mais tarde fundou um Mosteiro em Lisboa. Notável conhecedor da Escrituras ficou famoso pela sua vida de exemplo, orações e devoção a Nossa Senhora. Faleceu em 1° de novembro de 1437 no Domingo da Páscoa no Mosteiro Carmelita em Lisboa. A sua tumba foi perdida no terremoto de 1755. Beatificado em 23 de janeiro de 1918 pelo Papa Benedito XV. Canonizado em 26 de abril de 2009 pelo Papa Bento XVI. Sua festa é celebrada no dia 1° de novembro.