Santo do Dia

<<  14/09/2018(6ª-FEIRA)  >>

Santa Noteburga do Tyrol

Nasceu em 1265 em Rattenbergno, Tyrol Áustria de uma família de camponeses. Foi cozinheira na casa do Conde Henry de Rattenberg com 18 anos.Ela dava as sobras de comida e vinho aos pobres. Enquanto o Conde era solteiro sua mãe não se importava, mas quando ele se casou, a esposa do Conde Ottilia ordenou que Noteburga jogasse as sobras de comida para aos porcos, mas ela continuou dando aos pobres. Chamada a atenção pelo seu comportamento Nortemburga passou a dar as sobras para os porcos, e dar a sua própria comida para os pobres. Ottilia viu nisso uma forma de desobediência e a dispensou. Passou a ser uma servente de uma fazenda em Eben. Entretanto, Lady Ottilia faleceu e pouco depois o Conde casou-se novamente e a sua segunda esposa contratou Noteburga como governanta, e ela passou o resto de sua vida servindo em sua casa. Trabalhando com os pobres e fazendo milagres. Quando morreu de causas naturais em 16 de setembro de 1313 milagres foram reportados no seu Santuário em Eben, nas montanhas tirolesas. Alguns dos milagres de Noteburga ainda em vida: Seu patrão certa vez viu que ela deixava a casa com alguma coisa enrolada em seu avental. Pensando que ela desobedecia a ordem de não dar comida, ele ordenou que ela mostrasse o que levava no avental. Milagrosamente a comida e o vinho que levava se transformaram em lascas de madeira e vinagre. Quando ela estava como servente na fazenda em Eden conseguiu que fosse dispensada aos sábados a noite para ir a Missa e na Missa de vigília de festas religiosas. Em uma dessas ocasiões o capataz não queria deixa-la parar de cortar o milho. Ela respondeu que a sua foice iria determinar se parava ou não. Jogou a foice para cima e como a foice não caiu, ficando flutuando no ar, e ela foi à Missa. Pouco antes de sua morte ela disse ao Conde Henry para colocar o seu corpo em um carro de boi e a enterrassem onde os dois bois parassem por conta própria. Isso foi feito e os bois se dirigiram para a Vila e só pararam na Capela de São Ruperto, onde ela foi enterrada. Foi canonizada em 27 de março de 1862 pelo Papa Pio IX É a padroeira dos trabalhadores em fazendas, serventes, cozinheiras, ajudantes de cozinha e arrumadeiras, copeiras e garçonetes . Na arte litúrgica da Igreja ela é representada segurando um monte de milho,ou 2) com uma foice nas mãos, ou 3) com uma foice flutuando perto dela, ou 4) com os pães em seu avental.