Santo do Dia

<<  05/09/2018(4ª-FEIRA)  >>

São Justiniano

Também conhecido como Laurêncio Giustiniani. Nasceu em Venesa, Itália em 1º de julho de 1381. São Justiniano nasceu de uma família proeminente que produziu importantes escolares, diplomatas, prelados e santos.Embora seu pai Bernardo Giustiniani morreu quando ele ainda era jovem, sua piedosa mãe deu a ele uma excelente educação. Quando estava com 19 anos ele teve uma visão de seu tio Marino Querino, um can agostiniano de San Giorgio na ilha de Alga a 2 kilometros de Venesa. Don Querino recomendou a ele que tomasse as austeridades dos monges mesmo em casa, isto é, tentar um papel religioso, pondo de lado as honrarias, riquezas e os prazeres mundanos.Sua mãe tinha medo que estas austeridade prejudicasse a sua saúde e tentou arranjar um casamento para ele. Ouvindo o conselho de seu tio ele recusou os desejos de sua mãe e entrou para o monastério onde estava Querino. Como um jovem monge ele praticava as mais severas austeridades e ia a cidade com um saco sobre seus ombros a pedir ajuda e comida para a comunidade. Em 1406 ele foi ordenado e indicado Prior de San Giorgio. Ele tinha um dom e notável habilidade de aconselhar os aflitos. As lágrimas que ele as vezes derramava ao orar a Missa afligiam aqueles que assistiam, mas ao mesmo tempo os despertavam para o profundo significado do sacrifício da Eucaristia e saiam da Missa com uma fé renovada. Ele era o general da congregação e desde o tempo de sua entrada havia modificado alguns costumes. Ele escreveu uma nova constituição de tal modo que é considerado o segundo fundador. Ele também pregava e ensinava teologia. Em 1433 o Papa Eugenio IV forçou Justiniano a aceitar a Sé de Castello a qual incluía Venesa. Ele não conseguiu persuadir ao Papa a mudar de idéia e acabou aceitando ser o Bispo. Ele foi sagrado em sua Catedral em uma cerimônia tão simples que nem mesmo seus amigos mais chegados ficaram sabendo. Ele era impaciente com as tarefas administrativas de sua diocese e delegava estas tarefas para outros para ficar livre para pregar ao seu rebanho. Em 1451 O Papa Nicolau suprimiu a Sé de Castello e transferiu o titulo patriarcal de Grado para Veneza, com Justiniano como Arcebispo. O Senado da Republica Veneziana não gostou desta mudança porque isto diminuiria as suas prerrogativas e começo a debater com Justiniano sobre problemas de jurisdição. Justiniano pediu uma audiência no Senado e declarou seu desejo de renunciar se sua dignidade não fosse respeitada. Seu discurso foi tão forte que afetou todo a Senado, que aceitou imediatamente todos os termos do Decreto Papal e ele foi aprovado por toda a assembléia. Assim Justiniano aceitou seu novo posto e sua reputação de bondade e caridade aumentou ainda mais. Os escritos de São Justiniano sobre contemplação mística especialmente os “Os degraus da Perfeição” são sublimes em sua simplicidade. Eles são práticos, não especulativos e são destinado a assistir o clero. Algum tempo depois contraiu uma febre forte e quando estava para morrer tentaram dar a ela um colchão de penas e ele recusou dizendo “Meu Salvdor não morreu em uma cama macia e sim na dura madeira da Cruz “. Ele ficou nervoso e só acalmou quando o deitaram no chão coberto de palha. Ele não fez testamento pois não possuía nada. Ele recebeu os últimos sacramentos e muitos da cidade vieram receber a sua benção. Ele insistiu que os pobres e pedintes fossem admitidos e deu a cada um deles sua benção e um pequeno conselho. Faleceu em 8 de janeiro de 1456, e foi canonizado em 16 de outubro de 1690 pelo Papa Alexandre VIII. Sua consagração episcopal foi no dia 4 de setembro Ele era venerado pelos papas mesmo durante sua vida. Quando o Papa Eugenio IV o conheceu certa vez em Bolonha disse: “Bem vindo Ornamento dos Bispos”. O sobrinho do santo e biógrafo Bernardo Giustiniani relata que o seu corpo permaneceu em exposição na cidade para veneração, de uma fila interminável de fiéis, por 67 dias e os doutores que examinaram o corpo não puderam explicar o seu estado incorrupto. Na arte litúrgica da Igreja ele é reconhecido pela sua face de um típico veneziano.Face fina nariz longo e austero.Tinha olhos negros e uma boca dantesca. Ele raramente usava sua insígnia de Bispo.Ele é muito mais mostrado como uma vestimenta severa e uma capa. Ele também vezes é mostrado como: 1) Distribuindo alimentos durante a fome,ou 2)com a cruz episcopal a frente dele e uma mitra carregada atrás dele, ou 3) segurando um livro, ou 4) com a mão levantada para abençoar, ou 5) dando esmolas. Sua festa é celebrada no dia 5 de setembro.