Santo do Dia

<<  30/08/2018(5ª-FEIRA)  >>

São Fiacre

São Fiacre não é mencionado nos antigos calendários Irlandeses, mas é tido como certo que ele nasceu na Irlanda e viajou para a França onde viveu em quietude devotando-se a Deus. Ele chegou a Meauz onde o bispo da cidade deu a ele uma pequena habitação, em uma solitária floresta que era do patrimônio do bispado, chamado Breuil na província de Brie. A tradição diz que o bispo ofereceu a ele toda a terra que ele conseguisse arar em um dia. Fiacre em vez de sulcar o terreno com o arado, fez para ele uma cela com um jardim e um oratório em honra da Virgem Maria e fez um pequeno hospital para viajantes. Muitos o procuravam para conselhos e os pobre por ajuda. A sua caridade fez com que ele atendesse a todos e vários eram milagrosamente curados pelas suas mãos. Ele nunca permitiu que uma mulher entrasse em sua clausura e São Fiacre estendeu esta proibição até a sua capela e varias lendas dizem que as transgressões eram visivelmente punidas. Por exemplo, diz a tradição que em 1620 um dama de Paris que se dizia acima de suas regras se dispôs a dirigir-se ao oratório e no caminho perdeu a memória e nunca mais a recobrou. A Ana da Áustria rainha da França ficava contente em orar de fora da porta do oratório, entre os demais peregrinos e nunca tentou entrar. A fama dos milagre e curas de São Fiacre continuaram até após a sua morte e multidões visitam o seu túmulo por séculos. O Monsenhor Seguier, bispo de Meaux em 1649 deu o seu testemunho e João de Chatilon, Conde de Blois também testemunhou a sua cura. Ana da Áustria atribuiu ao santo a cura de Luiz XIII de uma grave doença em 1641 e em agradecimento, foi a pé, em peregrinação, ao túmulo de São Fiacre, que já havia se tornado um santuário. Ele é invocado para toda sorte de problemas físicos. Diz a tradição que ele teria tido hemorróidas e ficou sendo o santo padroeiro das doenças do reto. Ele é o padroeiro dos fabricantes de tijolos, telhas e manilhas de barro. Ele é também o padroeiro dos jardineiros e na França dos motoristas de taxi. Os taxistas franceses são chamados de fiacres porque o primeiro estabelecimento a permitir carruagens de aluguel, no meio de século VII, era situado à rua Saint Martin, próximo ao Hotel Saint Fiacre em Paris. A festa de São Fiacre é mantida em primeiro de setembro em varias dioceses da França e da Irlanda. Na arte litúrgica da Igreja ele é mostrado com uma pá de jardineiro A sua festa é celebrada no dia 30 de agosto.