Santo do Dia

<<  20/07/2018(6ª-FEIRA)  >>

Santa Margarete da Antioquia

Dependendo do país e da região, ela é chamada Margareth, Margarida ou Margareta. Na Europa Oriental ela é também invocada como Santa Marina. O culto a Margarida começou em 304DC no Leste Europeu e se estendeu pela França, Inglaterra e Alemanha tornando-se uma das mais populares mártires da Idade Media. Ela é uma dos 14 santos ajudantes (honrados como um grupo no dia 8 de agosto) e ela é uma das santas que falaram com Santa Joana D`Arc. Ela era venerada pela eficácia do seu poder. A eficácia de seus poderes contribuiu para a sua popularidade. A tradição diz que ela era um jovem solteira na Antioquia, Pisidia, Ásia Menor, hoje Turquia, martirizada sob o imperador Diocleciano. Isto é provavelmente verdade. Os martirologistas afirmam que nada na sua "Ata de Martírio" feita pelo escriba Theotimus, que depois se converteu, sido forjado. A historia ocorreu no reinado de Diocleciano em 304 DC, mas só apareceu no décimo século. De acordo com a Ata de seu Martírio ela era filha de um padre pagão da Antioquia ,mas foi criada por uma enfermeira cristã. Se converteu ao cristianismo, foi batizada e foi expulsa de casa pelo seu pai. Ela torno-se uma pastora e um rebanho de ovelhas mas era muito bela e admirada pelo prefeito Olybrius que a queria como esposa ou como amante mas ela o recusou. Ele, por vingança, a denunciou ao tribunal que a acusou de ser cristã e ela foi torturada para renunciar a sua fé e oferecer sacrifícios aos deuses pagãos. Não renunciou e foi atirada no calabouço para ser mais tarde martirizada. No dia seguinte eles a tentaram mata-la em um grande caldeirão mas ela cantava hinos a Jesus e nenhuma queimadura ou dor ocorria com ela dentro do caldeirão com água e depois com óleo fervendo. Como falharam diante de milhares de espectadores, que segundo a tradição foram convertidos ao cristianismo, o procônsul encarregado do martírio ordenou que ela fosse decapitada. Diz a tradição que o seu executor caiu morto ao seu lado. Diz ainda a tradição que quando na prisão a ela apareceu o demônio em forma de um dragão que a engoliu, mas como ela segurava uma cruz esta irritou o estômago do dragão que a expeliu ainda viva. Após sua morte o seu corpo foi reclamado por Theotimus e enterrado por uma viuva nobre. As suas relíquias teriam sido roubadas da Antioquia em 980 DC e trazidas para San Pedro della Valle e daí trasladadas para Montefiascone, Itália em 1145. Algumas de suas relíquias foram levadas para Veneza em 1213. Não obstante, varias outras cidades através da Europa afirmam terem parte de suas relíquias em suas catedrais. Na arte litúrgica da Igreja ela é representada carregando uma cruz ,ou pisando em um dragão, ou emergindo de sua boca ou espetando o dragão com uma lança com uma cruz na ponta. Ela é invocada pelas mulheres gravidas e pelas pessoas com problemas de estômago, provavelmente por ter sido engolida por um dragão e devolvida inteira e ainda porque ela tem a reputação de ter prometido as mulheres que a invocassem, teriam um parto sem problemas e ainda teria prometido aqueles que a invocassem na agonia da morte, escapariam do demônio. Sua festa é celebrada ano dia 20 de julho. Na Igreja Grega Oriental sua festa é celebrada no dia 13 de julho

Santa Eliza de Acheler

Uma mártir egípcia com seus companheiros cristãos, Daniel, Isaías, Jeremias e Samuel. Eles foram enviados para as minas de Cilicia (moderna Turquia) para confortar os cristãos presos ali. Eles foram presos no portão de entrada e martirizados. O historiador Euzebius estava na Caesarea, em Israel e deu vívido testemunho do acontecido. Santa Elisa foi martirizada e como não renunciasse a sua fé e aceitasse oferecer sacrifícios aos deuses pagãos, foi finalmente decapitada. Dois outros Pamphilus e Seleucus, também foram capturados, martirizados e decapitados junto com Elisa. Porphy o servente de Pamphilus, requisitou os corpos dos mártires para enterra-los e foi queimado vivo como um cristão. Vários milagres são creditados a sua intercessão. Tem muitos devotos e uma linda Igreja na Catalunha, Espanha. É também muito festejada na Rússia. É padroeira dos ferreiros e é invocada contra eczemas e doenças da pele.

Santa Ethelvina

Conhecida também como Santa Ethelwina e Ealsitha. Viveu no século 10 e foi casada como o Rei Alfredo, o Grande, da Inglaterra (871-899). Como havia feito um voto de castidade perpétua seu casamento não se consumou e viviam como irmãos. Diz a tradição que farto de viver como irmão ele teria avançado mas ela o recusou e fugiu para um promontório chamado Colbert Head.Uma milagrosa maré alta que durou sete dias impediu o Rei de atravessar para o outro lado, e assim ele teria então desistido. Logo depois veio a falecer de causas naturais. Ela ficou viuva após três anos de casada. Como viúva viveu uma vida de austeridade e fundou um convento em Winchester que seguia rígida regra Beneditina e lá viveu o resto de sua vida a ajudar os pobres e doentes que lá se apresentavam. Diz a tradição que curava certas doenças apenas com sua benção e oração. Mais tarde foi indicada como Abadessa do Monastério. Faleceu de causas naturais e seu túmulo se tornou local de peregrinação e vários milagres foram creditados a sua intercessão.Suas relíquias se encontram no Santuário de Santa Ethelvina na Abadia Beneditina de Winchester, Inglaterra.