Santo do Dia

<<  01/07/2018(DOMINGO)  >>

Santo Aníbal Maria di Francia

Hannibal di Frância Nasceu no dia 5 de julho de 1851 em Messina, Itália. Terceiro de quatro filhos de Francisco Marquises de Santa Catarina de Jonio, vice cônsul Papal, um cavaleiro e capitão honorário da Marinha, sua mãe era Maria Toscano uma aristocrática italiana. Seu pai morreu quando Aníbal tinha apenas 15 meses. O rapaz desenvolveu uma especial devoção a Eucaristia e a Virgem Maria. Com a idade de 17 anos enquanto orava ante o Sagrado Sacramento ele recebeu um chamado para vida religiosa. Ordenado em 16 de março de 1878. Imediatamente após ele mudou-se para gueto de Avignone, uma das mais pobre áreas da região onde ele começou seus trabalhos com os pobres. Em 1882 ele fundou a Congregação do Orfanatos Antoninos–assim chamado porque ele os colocou sob proteção de Santo Antonio de Pádua. Eles ficaram famosos por operar e agir como uma extensão da família. De modo a expandir seu trabalho para uma maior esfera de física e espiritual ele fundou a “Congregação do Divino Zelo” em 1887 e os “Rogacionistas” em 1897, ambos canonicamente provados em 6 de agosto de 1926. Ele acreditava que eram necessários padres mais cultos, preparados, fortes e operantes. Assim ele iniciou a “Santa Aliança e a Pio União dos Rogacionistas”, um movimento que logo se expandiu para o mundo inteiro para encontrar vocações e que publicava um periódico chamado “O Bom e o Vizinho” com informações sobre o movimento e seus trabalhos. Ele criou ainda um manual-modelo para os seminaristas que vinham trabalhar em suas escolas e dava ajuda física e espiritual para os seus irmãos e irmãs. Ele era considerado um santo ainda em vida e recebeu uma visão da Virgem Maria logo antes de sua morte. O grupo que ele criou continua até os nossos dias fundando e operando orfanatos, escolas e treinando e ensinado surdo-mudos, construindo casas para os idosos e mães solteiras e escolas de todos os tipos. O Cônego Anibal Maria di Francia marcou presença no Brasil atuando em varias Dioceses, em especial em Passos, Minas Gerais da Diocese de Guaxupé. Em Passos ele fundou o Educandário Senhor Bom Jesus dos Passos em data ainda não determinada por nós, mas em breve teremos estas informações e iremos aqui colocar. Passos tem ainda grande destaque, devido ao milagre realizado em uma jovem criança, Clarisse Nicole, o que levou o Cônego Anibal aos altares com a honra de Bem-aventurado. Faleceu em 1 junho de 1927 em Messina, Itália de causas naturais. Foi beatificado em 7 de outubro de 1990 e canonizado em 16 de maio de 2004 pelo Papa João Paulo II. Sua festa é celebrada no dia 1° de junho

São Gallo

Nasceu em 489 em Clermont em Auvergne, em uma família das mais distintas do pais.Contra a vontade de seu pai que queria que ele seguisse uma carreira mundana e se casasse, ele saiu de casa e foi para um monastério vizinho que não o aceitou sem o consentimento de que pai que finalmente autorizou dizendo: “Que a vontade de Deus seja feita e não a minha”. O novo religioso marcha rapidamente na sua vida de perfeição e todos admiram sua inocência e austeridade.Ele tem um gosto particular pelos hinos religiosos. A fama do jovem logo chega aos ouvidos do Rei Thierry que ficou conhecendo-o e o faz um diácono. Quando morreu o pároco de Clermont, o santo foi indicado para sucedê-lo. Recebeu a consagração episcopal. Seu rebanho logo percebeu os encantos do novo pastor, sua doçura, sua humildade, sua caridade paternal e assim logo ele conquistou a afeição geral. Entre suas virtudes a mais notável é sua paciência verdadeiramente admirável. Ns suas pregações ele sempre dizia que a paciência para com o próximo é uma das virtudes mais importantes e necessário para se ter a compaixão e seus sermões nunca contiam reprimendas.Certa vez um senhor o ofendeu em praça publica e ele respndeu co o silencio.Mais tarde o culpado pediu perdão publicamente. Deus rendeu homenagem ao santo com vários milagres. Um imenso ameaçava devorar uma grande parte da vila. São Gallo aproximou-se do incêndio portando um livro dos evangelhos e o jogou nas chamas que imediatamente se extinguiram. Mais tarde suas preces preservaram a vila de um terremoto, e durante a peste, suas orações obtiveram a mesma preservação de seu povo. O santo evoca um grande exemplo de resignação. Após sua a morte, seu túmulo tornou-se local de peregrinação e vários milagres foram creditados a sua intercessão. Ele é invocado contra a febre. Sua festa é celebrada no dia 1º de julho.