Santo do Dia

<<  26/06/2018(3ª-FEIRA)  >>

São José Maria Escrivá

São José Maria Escrivá Belaguer nasceu em 9 de janeiro de 1902 em Barbastro, Espanha. Um dos seis filhos de José e Dolores Escrivá.Três dos seus irmãos morreram na infancia. Seu pai era um pequeno negociante e quando seu negocio faliu em 1915 a família mudou-se para Logrovo. Quando jovem José Maria viu as pegadas na neve deixadas por um monge descalço e aquele sinal o comoveu e acendeu o seu desejo de ser um religioso. Ele estudou para padre em Logrovo e Saragossa. Seu pai faleceu em 1924 e Jose Maria simultaneamente sustentava sua família enquanto estudava. Ordenado em Saragossa em 28 de março de 1925. Indicado para uma paroquia rural e depois para Saragossa. Em 1927 foi para Madri estudar leis. Logo após um profundo retiro espiritual ele fundou a Opus Dei em 2 de outubro de 1928, a qual abriu um novo caminho para os devotos se santificarem no meio do ambiente mundano através de seus trabalhos e ainda cumprir seus deveres pessoais, familiares e sociais. Nos anos que se seguiram ele estudou na Universidade de Madri e ensinou para sustentar sua mãe e irmãos, e ainda pregando aos pobres e doentes, e trabalhando na Fundação Opus Dei. Com a guerra civil e a perseguição religiosa na Espanha ele atendia as escondidas apenas aos paroquianos. Escapou através dos Pirineus para Burgos. No fim da guerra em 1939 ele voltou aos seus estudos em Madri e formou-se em Doutor em Leis. Em 14 de fevereiro de 1943 ele fundou a Sociedade da Santa Cruz, unida com o Opus Dei e mudou-se para Roma em 1946. Conseguiu um doutorado em Teologia na Universidade Laterana. Foi consultor em duas congregações do Vaticano. Membro honorário da Pontifícia Academia de Teologia e indicado prelado de honra pelo papa Pio XII. Opus Dei recebeu a aprovação da Santa Sé em 16 de junho de 1950. José Maria viajava frequentemente pela Europa e America Latina para trabalhar para o crescimento da Opus Dei. Quando da sua morte a Opus Dei já tinha se espalhado pelos 5 continentes, com 60.000 membros de 80 nacionalidades, a maioria leigos. Ele faleceu em 26 de junho de 1975 de causas naturais em seu escritório em Roma foi enterrado na Capela da Paz na Via Bruno Nuozii 75, em Roma, Itália. Em 1976 uma freira Carmelita Conceição Boullon Rúbio estava para morrer quando, repentinamente ficou curada de lipomatosis após um membro da família orar a Deus através da intercessão de José Maria. Sua cura iniciou o seu processo de canonização em 19 de fevereiro de 1981. Em 9 de abril de 1990 o Papa João Paulo II declarou que ele tinha virtudes em um grau heróico. A cura da irmã Rúbio foi aprovada pela Câmara do Médicos da Congregação Para A Causa de Santos em 6 de julho de 1991. Em 20 de dezembro um segundo milagre atribuído a José Maria foi decretado pela Congregação e aprovado pelo Papa Joao Paulo II. Foi beatificado em 17de maio de 1992 e canonizado em 6 de outubro de 2002. Sua festa é celebrada no dia 26 de junho.