Santo do Dia

<<  28/05/2018(2ª-FEIRA)  >>

São Bernardo de Montjoux

As vezes também chamado de São Bernardo de Aostha. Nasceu em 923 em Menthon, Savoia e faleceu em Novara, Lombardia, Itália em 1008. Muito pouco se sabe sobre ele. Ele foi ordenado padre e foi indicado vigário Geral da Diocese dos Alpes e passou mais de 4 décadas conduzindo trabalhos missionários nos Alpes, sistematicamente visitando cada montanha e cada vila. Ele formou uma patrulha que expulsou os ladrões das montanhas e construiu vários hospitais para os peregrinos que por lá passavam e para os peregrinos que iam a Roma. Os grandes cães treinados por ele para encontrar pessoas perdidas nos Alpes até hoje são chamados de São Bernardo. Ele construiu também algumas pousadas e é especialmente lembrado por duas que ajudavam a encontrar e tratar de pessoas perdidas nos passos do Grande Bernardo e do Pequeno Bernardo, assim chamado por causa dele. Ele construiu um monastério agostiniano. Este monastério serviu de abrigo aos viajantes até a segunda metade do século XX. Ele é algumas vezes erroneamente referido como Bernardo de Menthon, e filho do Conde Ricardo de Menthon, o que ele não era. Na arte Litúrgica da Igreja ele é mostrado como: 1) um monge negro ou como um cânon com uma capa de pele, levando o demônio preso em uma corrente (não deve ser confundido com São Bernardo Claraval que às vezes levava um demônio preso a seus pés). 2)Mostrado também ajoelhado tendo uma visão de Cristo aparecendo a ele pela janela ou 3) com trigo, vinho e um raio perto dele ou 4) com um cachorro São Bernardo ao seu lado. Ele foi proclamado padroeiro dos alpinistas, esquiadores e da escalada. (escalador de montanhas) pelo Papa Pio XI (ele próprio um escalador) em 1923. Ele é também invocado como protetor das colheitas contra tormentas. Foi canonizado em 1681 pelo Papa Inocêncio XI. Sua festa é celebrada no dia 28 de maio.

São Germano

Conhecido tambem como São Germano de Paris. Nasceu em Autun, Franca em 496, foi ordenado em 530 e 10 anos mais tarde foi eleito Abade do Monastério de São Sinfrônio. Em 556 ele foi para Paris e quando o bispado ficou vago ele foi nomeado Arcebispo de Paris pelo Rei Childebert I. Em nenhum modo o seu oficio mudou a sua vida de santidade e bondade. Sempre austero, ele continuamente passeava junto dos pobres e nunca os afastava e por isso a história passou a chama-lo de “pai dos pobres”. São Germano não tinha medo e certa vez acabou com uma revolta civil e mais de uma vez tentou acabar com os vícios do rei. Finalmente com a suas bênçãos e orações ele curou o Rei Childebert I de uma terrível doença e acabou convertendo-o para o cristianismo terminando assim com sua licenciosidade e sua injustiça para com os pobres. Quando ele faleceu o grande poeta Venatius Fiortunatus escreveu uma peça sobre sua vida e pelos seus inúmeros milagres, ele foi declarado um vigoroso santo e canonizado em 754 DC. A Abadia de Saint Germain-des-Prés foi de fato fundada pelo santo com a ajuda o Rei Childebert em 553 DC. São Germano consagrou-a a São Vicente e a sagrada Cruz. Quando Germano morreu na idade de 80 anos ele foi enterrado na abadia em uma suntuosa tumba. Na revolução francesa, ela foi destruída. Mais tarde, ela foi reconstruída e a ela foi dado o seu nome e é destinada ao ensino religioso como São Germano queria a seu tempo. A Abadia de Saint Germain-des-Pré é um tributo a influência de São Germano na França. Na arte litúrgica da Igreja, São Germano é mostrado deitado em uma cama extinguindo o fogo pelas suas preces. Ou é mostrado com uma corrente e com as chaves do reino ou com São Pedro ao seu lado, tambem com as chaves do reino. Ele é o padroeiro dos cantores de corais e é invocado contra o fogo. Sua festa é celebrada no dia 28 de maio. São Germano tinha a maior devoção para com a Virgem Maria e escreveu : “Os rogos da Bem Aventurada Virgem como mãe em certo sentido são ordens. Não é possível não ser atendida quando pede. Ó Maria,vós que gozais da autoridade de mãe junto a Deus, alcançai o perdão aos maiores pecadores, já que o Senhor reconhecendo-vos sua Mãe, não pode deixar de vos conceder o que lhe pedis.” E tambem escreveu esta linda oração a Virgem: Ó Mãe de misericórdia, quem depois de vosso Filho tem tanto zelo por nóse pelo nosso bem? Quem nos protege como vós nos males que nos afligem? Quem, como voce, toma a defesa dos pecadores? Certamente Ó Maria, o vosso patrocínio é mais poderoso e mais afetuoso do que podemos compreender.”