Santo do Dia

<<  06/05/2018(DOMINGO)  >>

Santa Benedita de Roma

Viveu no sexto século e era uma freira de um convento fundado em Roma por Santa Galla. O papa São Gregorio, o magno narra na historia que escreveu dela que São Pedro apareceu a Santa Benedita em uma visão para avisa-la de sua morte. Dedicava a sua vida em ajudar os pobres e doentes e certa vez uma de suas companheiras de convento viu um anjo a fazer os afazeres de Santa Benedita porque ela estava fora a cuidar de um doente e suas tarefas não podiam se atrasar. Quando veio a falecer, uma luz brilhante e um perfume forte de incenso encheram o quarto. Seu túmulo passou a ser local de romaria e vários milagres são creditados a sua intercessão. Mais tarde suas relíquias foram trasladadas para a igreja de Santa Maria Maior em Roma.

São Lucio de Cyrene

Primeiro século. São Lucius era um dos profetas e doutores da Igreja da Antioquia quando Paulo e Barnabas foram consagrados pelo seu apostolado (Acts 13L1).São Lucio era de Cyrene e foi o seu primeiro bispo da cidade nos Ptolemais (Norte da África). Seu nome é latino, mas alguns sugerem que ele seria um judeu convertido. Era um estudioso dos Evangelhos e respeitado pelo seu saber. É dito que seus sermões converteram centenas no inicio da Igreja da Antioquia. Sua festa é celebrada no dia 6 de maio. A cidade de Cyrene ficava nos limites das Montanhas Verdes (Djebel Akaar) a 16 quilômetros do porto de Apollonia. Era a principal cidade entre o Egito e Cartago (Cyrenaica, hoje o vilarejo de Benghsazi). Alcançou a sua prosperidade no ano de 460 quando se tornou uma república e após a morte de Alexandre caiu em desgaste. Em 74 AC Cyrene tornou-se uma colônia romana. Havia muitos judeus na região com a sua própria Sinagoga em Jerusalém, quando da rebelião em 73 DC contra o Imperador Vespasiano e em 115 DC contra o Imperador Trajano. A história menciona 6 bispos de Cyrene e de acordo com a tradição Bizantina o primeiro foi São Lucius (Acts,cxiii,1). A Sé titular foi suprimida por decreto papal de 1894 e a velha cidade arruinada pelas invasões dos árabes no sétimo século não é habitada, mas ainda é chamada de Qrennah (Cyrene). Sua necrópole é uma das maiores e melhor preservadas do mundo e as tumbas, (a maioria em pedaços cortados da rocha) são do estilo Dorian.