Santo do Dia

<<  26/04/2018(5ª-FEIRA)  >>

São Pascásius Radberto

Radberto que permitia que fosse chamado Pascásius, provavelmente nasceu em Soissons, França sem pai e mãe. Foi encontrado na porta do Convento de Notre Dame em Soissons. Ele era um bebê e foi criado pelas irmãs, educado pelos monges de Saint Peter e recebeu o hábito dos beneditinos e mais tarde foi ordenado diácono. Mas ele, pensando que a comunidade estava exagerando a natureza do mundo deixou o mosteiro para viver sua própria vida. Ele tentou uma vida mais confortável mas voltou ao mosteiro com 22 anos e começou a ler, estudar, orar e escrever. O Abade do Monastério era Adebard, o irmão de Theodrade, a Abadessa que havia dado a ele abrigo quando abandonado. Ambos eram primos em primeiro grau de Carlosmagno e pertenciam a nobreza. Sendo bem educado Radbertus conhecia grego e hebreu. Ele foi enviado para Saxônia onde Carlosmagno ficou 30 anos tentando subjugar o povo.Carlos mano havia organizado 198 expedições tentando batizar pela força e promulgou vários editos, como por exemplo um que ordenava jejuar sob pena de morte. Durante este período Radbertus e Adebard fundaram monastérios na Saxônia. A pregação de Radbertus foi um sucesso. Assim, embora um simples diácono em 822 ele foi enviado para fundar a New Corbie em Esphalia. Ele pregava para os monges nos Domingos, nos dias santos e dava sermões públicos diariamente em ciências sacras. Era um notável conhecedor das escrituras. Sob sua direção a escolas de Corbie ficaram famosas. Entre seus alunos estavam Anscharius, Hildmar e Odo que foi Bispo de Beauvais. Sua agenda lotada nunca o impediu de assistir o oficio público no coro e observar todas as regras da Ordem. Humilde como era Radbertus aceitou a posição de Abade em 844. Em 851 ele se retirou e se recolheu na Abadia de São Reuer para terminar seus trabalhos. Ele terminou um Tratado sobre a Real Presença de Cristo na Eucaristia (De Corpore et Sanguine Christe) que levantaram muitas questões, mesmo após 15 anos de sua publicação. Alguns acharam ofensivas certas expressões, várias retiradas dos escritos de Santo Ambrosio, nas quais o autor fortemente afirmava que o Corpo de Cristo, presente na Eucaristia, seria a mesma carne que havia nascido da Virgem Maria e pregado na Cruz, o que causou alguns problemas e discussões. Eles pensavam que ele mencionava Cristo na Eucaristia como um mortal no estado que ele sofreu e entenderam este sagrado mistério, no senso carnal dos Capharnaitas, o que seria uma heresia. Em carta para o Irmão Frudegard em New Corbie, Radberto defendeu a maneira que se expressava e mostrou com incrível clareza a sua ortodoxia. Radberto deixou vários outros notáveis trabalhos enfocando o corpo e o sangue de Jesus Cristo. Seu principal trabalho é um comentário sobre o Evangelho de São Mateus (12 volumes) que ele pregou antes de publicar. Ele refutou brilhantemente os erros assumidos por Felix de Urgel, Cláudio de Turin e especialmente João Scotus Erigena, a respeito do mistério da Real Presença de Cristo na Eucaristia. Ele também compôs um Tratado sobre a Virgem Maria defendendo com incrível clareza a sua perpétua virgindade, uma longa exposição do Salmo 44 e outro sobre as “Lamentações de Jeremias”. Este último é longo e até mesmo enfadonho, mas muito bem documentado. Ele também escreveu a biografia sobre dois Abades de Corbie : Adebard e Wala . Subscrevendo o Concilio de Paris em 846 ele tomou seu nome Radberto mas nos seus trabalhos ele sempre assinava Paschasius. Isto, ele fez de acordo como costume da época entre os homens de letras da França, pois todos adotavam o seu nome em Latim. Radberto foi enterrado na Capela de São João, mas seu corpo mais tarde foi trasladado para uma enorme igreja pela autoridade do Papa Gregório,o magno que tanto o admirava. Desde aquele tempo ele é honrado em Corbie como um santo e está incluído na Martirologia Beneditina e na Gallicana. Na arte litúrgica da Igreja ele é mostrado com anjos trazendo um Ostensório para ele com vários livros sobre a mesa. Sua festa é celebrada no dia 26 de abril.