Santo do Dia

<<  11/04/2018(4ª-FEIRA)  >>

Santa Gemma Galgani

Gemma nasceu em Borgo Nuovo di Camigliano, perto de Toscana, Itália em 1878 e era um filha de um pobre farmacêutico. Sua mãe morreu quando tinha sete anos e desde então passou a ter muito trabalho doméstico e muitos problemas espirituais. Mas ela os suportou com paz e extraordinária paciência. Foi sujeita a fenômenos sobrenaturais como visões, êxtases, revelações ,conhecimentos sobrenaturais e estigmas periódicos . Quando tinha 18 anos seu pai morreu e ela entrou para a casa de Mateo Giannini como serviçal domestica. Ela desejava entrar para o convento das Passionatas em Lucca na qual o seu conselheiro espiritual era o diretor, mas ele não podia aceita-la pela sua fragilidade física e saúde precária que incluía uma tuberculose na espinha. Mais tarde Gemma curou-se da tuberculose pela intercessão de São Gabriel de Possenti. Ela tinha uma notável disposição religiosa. Entre 1899 e 1901 ela foi sujeita a vários fenômenos supernaturais os quais foram cuidadosamente estudados pelo seu confessor Padre Germano. Por 18 meses ela sofreu os estigmas da Crucificação de Cristo e a marcas dos espinhos e dos açoites em Jesus, quando ela orava. Experimentou visões de Cristo e da Virgem Maria e do seu anjo da guarda. Quando ela falava em êxtase, o som da sua voz mudava e ouvintes anotavam os seus dizeres as vezes em linguagem usada na época de Cristo, da qual não poderia ter conhecimento, visto que apenas poucos luminares em Roma foram capazes de decifrar suas visões e revelações. Toda sua vida ela pacientemente suportou os sofrimentos físicos e espirituais que incluíam o desprezo e a zombaria daqueles que não acreditavam, que as vezes incluía até mesmo parentes e pessoas da cidade. Ela veio a falecer no Sábado Santo de 1903, e logo depois o culto popular se desenvolveu. Sua popularidade aumentou em 1943 quando suas cartas para o seu diretor espiritual foram publicadas. Ela foi canonizada, apesar de muita oposição, visto que alguns fenômenos acontecidos com ela se baseavam, não em fenômenos naturais da sua experiência religiosa, mas sim na santidade de sua vida. Foi beatificada em 1933 e canonizada em 1940. Suas relíquias estão na Capela das Irmãs Passionatas em Lucca, Itália. É padroeira dos farmacêuticos e alquimistas.

São Gustavo de Croyland

Conhecido também com o Gustav, Gustaff e Guthlac. Nascido em Mércia, em 673 DC, teria sangue real da tribo dos Guthlacingas. Teria sido soldado por nove anos lutando por Ethelred, o Rei de Mércia. Na idade de 24 anos, renunciou a violência e a vida mundana e se tornou um monge beneditino na Abadia de Repton, dirigida por uma Abadessa de nome Elfrida. Mesmo naqueles dias de iniciante, sua disciplina era extraordinária. Alguns dos monges não o apreciavam muito, simplesmente porque ele recusava todo e qualquer vinho e qualquer outra bebida, a não ser água. Mas com o tempo ele conquistou a admiração dos seus irmãos. Após dois anos no monastério, lá parecia ser um local muito agradável para o que ele desejava. Na festa de São Bartolomeu, cerca de 701 DC, ele encontrou um local remoto perto do Rio Welland, o qual só poderia ser alcançado de barco e viveu lá o resto de sua vida como um eremita, procurando imitar os rigores dos velhos antigos monges do deserto. Suas tentações rivalizavam a deles. Homens selvagens invadiam a floresta e batiam nele. Até tomavam as suas poucas posses e comida, mas Gustavo era paciente até mesmo com as criaturas selvagens. Pouco a pouco os animais e os pássaros passaram a tratá-lo como amigo e a confiar nele. Um homem santo de nome Wilgrid, certa vez visitou Gustavo e ficou estarrecido ao ver duas andorinhas pousarem em seus ombros e depois andarem sobre o seu corpo. Gustavo disse a ele: “Aqueles que escolhem viver longe dos humanos se tornam amigos dos animais selvagens e os anjos os visitam também, e aqueles que são sempre visitados por outros homens, raramente são visitado pelos anjos”. Diz a tradição que em algumas noites sua única refeição do dia era trazida pelos anjos. Aparentemente, Gustavo havia tido uma visão de São Bartolomeu, seu patrono, que lhe deu um açoite para espantar o demônio. Ele não estaria totalmente só no seu refúgio. Ele teve vários discípulos entre eles Santa Cissa, São Bettelin, São Egbert que tinham suas celas bem perto da dele. O Bispo Hedda de Dorchester o ordenou padre durante uma visita ao seu retiro para pedir seu aconselhamento espiritual e sua bênção que teria curado uma grave doença do bispo. O príncipe exilado, Ethelbald, veio a ele a procura de conselhos e aprendeu de Gustavo o que deveria fazer para, de novo, usar a coroa de Mércia. Quando ele estava morrendo, Gustavo mandou chamar Santa Pega (sua irmã) e que era também uma eremita próxima a ele (A igreja de Santa Pega existe até hoje em Peakirk). A Abadessa Edberga de Repton, enviou a ele um caixão de chumbo. Um ano após a sua morte, o corpo de Gustavo foi exumado e encontrado incorrupto. Levado para o seu santuário, tornou-se local de peregrinação e vários milagres são creditados à sua intercessão. Quando o Rei Wiglaf de Mércia (827-840) e o Arcebispo Ceolnoth de Canterbury, foram curados pelas orações a São Gustavo em 830 DC, seu culto cresceu e se espalhou. Um monastério foi erigido no local da cela de São Gustavo e mais tarde se tornou a Abadia de Crowland, para onde suas relíquias, e seu açoite, foram trasladadas, em 1136. Houve outro translado em 1196. A vida de São Gustavo está escrita em Latin pelo seu contemporâneo Felix. Várias outras biografias estão compostas em prosa e versos, em inglês antigo. Junto com São Cuthbert, São Gustavo é um dos mais populares santos da Inglaterra. Na arte litúrgica da Igreja, São Gustavo é mostrado segurando 1º um açoite na sua mão direita com uma serpente a seus pés, ou 2º recebendo o açoite de São Bartolomeu, ou 3º sendo ordenado por Santa Hedda de Winchester, ou 4º com os demônios molestando e os anjos a consolá-lo. Uma magnífica recordação de sua vida sobreviveu no Museu Britânico e é chamada de Guthlac Roll. É uma série de 18 cartões de vidros baseado na biografia de Feliz. Na Abadia de Henry Crowland, do século 13, existe um selo na porta principal mostrando São Gustavo recebendo o açoite de São Bartolomeu, para se defender dos ataques do demônio. Ele é muito venerado em Lincolnshire. Faleceu em 714 DC. Sua festa é celebrada no dia 11 de abril. A festa de seu traslado é celebrada em 3 de agosto e ainda tem outra comemoração, em 26 de agosto, em Lincolnshire.