Santo do Dia

<<  21/03/2018(4ª-FEIRA)  >>

São Nicolau Flue

Também conhecido como São Nicholas von Flue Nasceu em 1417 em Sachselm, Canton Obwalden, Lago Lucerna , Suíça De uma família de prósperos fazendeiros que possuíam os Alpes Kluster e o Estado de Flueli, em Sachsterberg, daí o seu sobrenome. Foi soldado, casou-se ficou casado por 30 anos e foi pai de 10 filhos Enquanto trabalhava no campo, por várias vezes era envolto em uma luz e caía em êxtase e experimentava revelações e visões. Ele passava suas noites em oração. Assim em 1467, com a aprovação de sua família, tornou-se um eremita e saiu de casa descalço, apenas com um rosário e um báculo. Teve uma visão de um raio indicando onde deveria construir sua cela e lá passou o resto de sua vida 21 anos- sem comer, vivendo apenas com a sua comunhão diária. Certa vez os magistrados do local ordenaram que sua cela fosse vigiada por 28 dias para ter a certeza que ninguém lá entrava ou levava comida. Uma vez o Bispo Thomas foi visita-lo e notando sua pele extremamente seca, e praticamente em carne e osso, ordenou que ele comesse um pedaço de pão e bebesse um pouco de vinho que havia levado. Nicolau recusou, mas o bispo insistiu e ele obedeceu, mas engasgou-se com o pedaço de pão e o bispo viu então que seu jejum era um Dom Divino. A sua reputação de santidade espalhou-se e ele atraiu estudantes espirituais. Em 1481 ele foi chamado para intermediar uma disputa que ameaçava a Suíça de uma guerra civil. Ele deixou sua ermida e se dedicou ao serviço e teve sucesso em evitar o conflito. Ele recebeu os poderosos inclusive o Imperador Frederico III- os humildes, as crianças e muitos peregrinos vinham a sua cela para receber o seu conselho. Ele é considerado por muitos como Pai de seu país e honrado tanto pelos católicos como pelos protestantes suíços pela sua sabedoria, santidade e trabalho para unificar o seu país. Faleceu em 21 de março de 1487 de causas naturais. Foi canonizado em 1947 pelo Papa Pio XII . É o padroeiro dos conselheiros, magistrados, grandes famílias e da Suíça . Sua festa é celebrada no dia 21 de março.

São Serapião, o escolástico

Também conhecido como Serapião de Thmuis Ele era um monge egípcio de grande erudição e muito inteligente. Por certo período ele dirigiu a famosa Escola de Catecismo da Alexandria, mas renunciou de modo a ter mais tempo para as orações e reflexões. Assim, ainda jovem ele era discípulo de Santo Antônio, o Abade no deserto e foi um grande incentivador de Santo Athanásio, que nos conta isso em seu livro "A vida de Antônio". Nos conta ainda que Serapião visitou Antônio e discutiam vários assunto de alto teor teológico e complexidade e quando Antônio faleceu, deixou para Serapião a sua túnica. Anos mais tarde, quando Serapião foi consagrado Bispo de Thmuis (perto de Disopolis) no delta do Rio Nilo, ele se tornou uma figura líder nos assuntos eclesiásticos. Ele foi um vigoroso oponente do Arianismo (doutrina que dizia que o Filho não era consubstanciado com o Pai). Por isso ele foi banido pelo Imperador Constantino, mas foi chamado de o "grande confessor" por São Jerônimo. Tão logo a blasfêmia do Macedonismo apareceu, Serapião vigorosamente se opôs a negação da Divindade do Espirito Santo e informou Athanásio, que logo em seguida escreveu contra isso em quatro cartas dirigidas a Serapião em 359 DC (enquanto Athanásio estava escondido no deserto). Serapião também escreveu um excelente livro contra os Maniqueismo. Escreveu varias cartas e tratados sobre os Salmos que são citados por São Jeronimo, mas que se perderam com o tempo. Acima de tudo São Serapião tornou-se conhecido por causa de um escrito sacramentário de sua autoria chamado " Euchologion" que foi descoberto e publicado em 1899. Esta coleção de orações litúrgicas foi traduzido para várias línguas, inclusive o inglês e era destinado primeiramente aos bispos. Não obstante, é muito usado pelo publico em geral em todo o Leste e no Egito. São Serapião faleceu em 370 DC Sua festa é celebrada no dia 21 de março.