Santo do Dia

<<  11/02/2018(DOMINGO)  >>

Santa Helwisa

Conhecida no Brasil e em Portugal com Santa Heloísa. Na Espanha como Eloísa. Ela era uma reclusa na Abadia Beneditina de Coulombs, na Normandia, França. Diz a tradição que durante a praga de 1330, que dizimou 1/3 da Europa ela cuidava dos doentes pessoalmente e milagrosamente não contraiu a doença (parece ter sido a cólera ou a peste bubônica) e diz ainda a tradição que ela curava alguns doentes apenas com a sua benção e oração. Um escritor italiano conta que a peste era tão terrível e rápida que: "a vitima almoçava com os amigos e jantava com os ancestrais no Paraíso." Os corpos eram deixados em casa e não havia ninguém para enterrá-los. Morreram em 5 anos 25 milhões de pessoas, ou seja, 1/3 da Europa da época. Após sua morte de causas naturais em 1365, seu túmulo tornou-se local de peregrinação e vários milagres foram creditados a sua intercessão.

São Benedito de Aniae

Nascido em Languedoc, França em 750 DC como o nome de Witiza. Filho do Visigodo Aigulf, conde ou governador de Maguelone, Witiza e serviu no exercito de da Lombardia. Com 20 anos ele resolveu seguir o reino de Deus com todo o coração.Por três anos ele ainda serviu na corte, mas mortificando o seu corpo. Em 774 tendo escapado de se afogar em Tesin perto de Pavia quando tentava salvar seu irmão durante a campanha militar na Lombardia, Itália ele fez o voto de deixar o mundo por completo. Witiza tornou-se um monge beneditino em Saint-Seine perto de Dijon, França onde ele tomou o nome de Benedito.Ele passou dois anos e meio vivendo apenas de pão e água, domindo no chão, orando a noite e andando descalço mesmo no inverno. Ele recebeu insultos com alegria. Deus deu a ele o dom das lagrimas e colocou grande conhecimento e sabedoria das coisas espirituais. Quando o Abade morreu ele recusou oposto de Abade que lhe foi oferecido porque ele sabia que os irmãos não desejavam reforma-la.Em 779 Benedito voltou a sua terra em Languedoc, onde ele viveu como eremita perto do riacho de Aniane e atraiu vários discípulos incluíndo o santo homem Widmar, e em 782 ele construiu um Monastério e uma igreja. Os monges faziam o trabalho manual e copiavam os manuscritos (não havia imprensa na época).Eles viviam com água e pão exceto nos Domingos e nos dias de festa quando eram adicionados leite ou vinho, mesmo assim, quando eles recebiam dos visinhos. O resultado desta austera regra( combinando a de Bendito, Pachomius e Basil) foi um fracasso e assim ele adotou a regra de São Benedito de Nursia e o Monastério cresceu. Dali em diante sua influencia espalhou-se. Ele reformou e construiu outras casas. Quando o bispo Felix de Urgel propôs que Cristo não era natural, mas apenas um filho adotivo do Pai Eterno (Adoptionismo), Benedito se opôs a esta heresia e assistiu ao Concilio (Sínodo) de Frankfurt em 794. Ele empregou sua pena para refutar esta heresia em quatro tratados, que foram publicados nas “Miscelaneas de Basulius”. Durante o tempo dos frankistas o império monástico sofreu os ataques dos Vikings. A disciplina monástica piorou apesar dos esforços dos imperadores do 8º e 9º séculos que legislarem a favor da Regra de São Benedito como sendo fundamental e estabeleceram códigos de conduta nos seus domínios. Benedito de Aniane e o Imperador Luis, o piedoso cooperaram em beneficio mútuo. O imperador construiu a Abadia de Maurmunster como uma abadia beneditina modelo na Alsacia e o Monastério de Cornelimunster perto de Aachen (Aix-la-Chapelle) Alemanha, e indicou São Benedito como diretor de todos os monastérios do seu império. O monge instituiu drásticas reformas embora por causa da oposição elas não foram tão drástica como ele desejava. Por outro lado Benedito apoiou o imperador, primeiramente mudando seu trono para Aachen e depois em Aachen o imperador presidiu um encontro de todos os abades do império, em 817, uma data decisiva para a história beneditina. Durante o encontro “Benedicto Capitulare monasticum” uma sistematização das Regras de São Benedito foi aprovada como regra para todos os monges do império. Ele também compilou o “Codex regularum” uma coleção de todos os regulamentos monásticos em ainda “Concordia regularum” mostrando a semelhança da Regra de São Benedito de Nursia com a regra de outros lideres de monastérios. A legislação enfatizava como guia fundamental a Regra de Benedito, enfatizando a pobreza individual, a castidade com obediência ao abade adequadamente constituído, que era também um monge.Sob pressão imperial da uniformidade da comida, bebida, vestimenta e o Divino Oficio (o qual pode ser comparado com a insistência de Carlosmagno no Rito Romano) houve também tentativas de impor obediência monástica em detalhes de menor importância. Benedito insistiu no caráter litúrgico da vida monástica, incluindo uma Missa diária e varias adições ao Divino Oficio. Esta sistematização caiu em desuso após a morte de São Bendito, mas seus efeitos foram duradouros no monasticismo ocidental. A influencia de suas reformas pode ser vista nas reformas de Cluny e Gorze.Por esta razão Benedito é considerado restaurador do monasticismo ocidental e freqüentemente chamado de “O segundo Benedito”. São Benedito faleceu com extraordinária tranqüilidade e alegria com cerca de 71 anos de idade, e foi enterrado na igreja do monastério onde suas relíquias estão até hoje e para as quais são atribuídos vários milagres. Na arte litúrgica da Igreja São Benedito é mostrado como um Abade com um fogo sobrenatural ao seu lado, ou 2) em uma caverna com a comida sendo levada para ele em um cesto ou 3) dando o hábito a São William de Aquitane. Ele é muito venerado em Dijon (Saint-Sien) e Ariane Languedoc. Faleceu em Cornelimuester, Aachen, Alemanha em 11 de fevereiro de 821. Sua festa no passado era celebrada no dia 12 de fevereiro. Sua festa é celebrada no dia 11 de fevereiro.