Santo do Dia

<<  26/01/2018(6ª-FEIRA)  >>

Santa Paula

Também conhecida como Santa Paulina e Santa Paula de Roma, nasceu no ano de 347 em Roma. Nobre romana casada com o senador Toxitius. Mãe de Santa Eustóchia e Santa Blaesilla. Ficou viúva com 32 anos. Amiga, discípula e estudante espiritual de São Jerônimo o qual escreveu a sua biografia. Muito amiga e conselheira de Santa Marcella. Fez peregrinações a Terra Santa e lá veio a falecer. Morreu em 404 em Belém e foi enterrada na Igreja da Natividade. É padroeira de Nazaré e das viúvas. Sua festa é celebrada no dia 26 de janeiro. Mais detalhes sobre Santa Paula de Roma: Nascida em Roma em 5 de maio de 347 e morreu em Belém Palestina no dia 26 de janeiro de 404. Esta nobre senhora viveu a mensagem de Cristo e demonstrou grande amor e sua história é preservada nas epistolas de São Jerônimo e sua Eulogia a ela (Epistola 108). Paula nasceu em uma família nobre. Ela era descendente dos Scipios e dos Gracchi. Quando tinha 15 anos Paula casou-se com o senador Toxotius com o qual teve um filho e quatro filhas. Embora tenha sido um casamento arranjado pelos pais (muito comum na época) foi um casamento muito feliz. Paula e Toxotius se amavam e tinham uma vida bastante harmoniosa e socialmente ativa. Entretanto Paula percebeu que a felicidade terrena é efêmera e aprendeu esta lição com 32 aos quando ficou viúva. Ela ficou inconsolável com sua perda. Ela tentou se confortar com seus filhos (Blaesilla, Paulina, Estochium, Rufina e Toxotius).Certa vez em conversa com sua amiga Santa Marcella resolveram a se devotarem a Deus. Paula vendeu todos os seus tesouros e construiu uma casa para ela e suas amigas se reunirem para aprenderem e estudarem as Escrituras Sagradas e os Evangelhos. Ela construiu um hospital e uma outra casa tipo convento onde havia uma capela para orarem e assistirem a santa Missa diariamente. Paula passou a usar roupas bem simples e a dormir no chão sobre um saco e a praticar uma severa austeridade. Recebeu e hospedou São Epiphanius e São Paulinus da Antioquia quando eles visitaram Roma. Quando São Jerônimo chegou a Roma ela e Marcella insistiram para que ele ensinasse a elas o Hebreu para poderem ler algumas das Escrituras que só existiam em hebraico. Em breve ela havia fundado uma comunidade cristã com regras severas a serem respeitadas e fundou ainda um mosteiro para mulheres perto do Monastério de São Jerônimo, para monges. Construiu também outro hospital para pobres, um convento e algumas igrejas. Ela foi em peregrinação a Belém na Palestina e continuou até o Egito para visitar os monges do deserto e os eremitas de lá. Ao retornar ficou ainda mais impressionada com o local onde Jesus havia nascido e fez um lindo hino a Belém onde ela cantava a "casa do Pão da vida, porque aqui nasceu o Pão vivo sem o qual não iremos para ao céu". Alguns estudiosos creditam a ela o início de uma especial devoção ao Sacramento da Eucaristia. Ela aprendeu a ler os salmos em sua língua original e com o seu conhecimento do grego (aprendido com seu pai), ajudou a São Jerônimo nas suas traduções das Escrituras para o Latim e por vezes chamava atenção do santo para que se interessasse nas disputas sobre Origens. São Jerônimo aplaudia a eficiência de Paula, mas também a alertava com relação as suas mortificações excessivas e quando ela passou a dar muitos presentes aos necessitados, advertiu-a que isto poderia colocar suas casas em dificuldades (com aconteceu). Na cidade de Belém ela construiu um grande hospital, um monastério, um convento, uma igreja e com isso ficou sem um centavo com a idade 56 anos. Ela ficou sendo cuidada pela sua neta. Ao morrer de morte natural, foi enterrada perto do local onde Jesus nasceu embaixo da Igreja da Natividade. Seu biógrafo foi o não menos famoso São Jerônimo que recusou a ser indicado papa, para cuidar dos vários mosteiros, conventos e hospitais que ele e Santa Paula haviam fundado e no final todos estavam bem administrados e funcionando da forma que ela havia desejado. Parte dessa decisão, teria sido porque São Jerônimo testemunhou várias curas milagrosas, na tumba de Santa Paula creditadas a sua intercessão.

São Timóteo

Nasceu em Lystra na Lycaenia, filho de um grego gentio e de Eunice, uma judia convertida ao cristianismo. Eunice e sua avó materna Lois abraçaram o cristianismo durante a primeira visita de São Paulo (2 Timoteo1:5) a Lycaenia. Quando São Paulo pregou, sete anos mais tarde em Lystra, Timóteo substituiu Barnabé (Barnabas-Atos16L1-4) Os dois se tornaram muito amigos e São Paulo o descrevia afetivamente como “ meu amado irmão na fé”. Como Timóteo era filho de uma mulher judia, São Paulo permitiu que ele fosse circuncidado para satisfazer aos judeus (Atos 17:10-14). Timóteo acompanhou Paulo em sua segunda viagem missionaria. Quando a oposição aos judeus compeliu Paulo a deixar Beroeva, Timóteo ficou para batizar, organizar e confirmar os convertidos a nova fé.(Atos 17:10-14). Ele então foi enviado para Thessalonica para investigar o como estavam os cristãos por lá e reforçar a fé deles diante das perseguições. Seus relatórios foram a base da primeira carta de Paulo aos Tessalonicenses ( reconhecido como um dos primeiros escritos do Novo Testamento). Em 58 Timóteo e Erastus foram para Corintho para reforçar os ensinamentos de Paulo. Depois eles acompanharam Paulo a Macedonia e Achaia. É provável que Timóteo estava com Paulo quando este foi preso na Cesarea e com certeza de novo em Roma (onde ele esteve preso por algum tempo). Os eventos descritos pelo historiador Eusebio é que Timóteo foi para Efesus e tornou-se seu primeiro Bispo (alguns escolares bíblicos dizem que ele foi consagrado por Paulo) e lá ficou até ser morto a pedradas e pauladas após ter denunciado a festa pagã no festival de Katagogia, uma celebração em honra ao deus Dionysius (e não a deusa Diana, como erroneamente é dito). Paulo escreveu duas cartas para Timóteo: uma da Macedônia cerca de 65 e outra enquanto Paulo estava encarcerado em Roma aguardando sua morte. Elas orientavam Timóteo no sentido corrigir inovadores e professores de falsas doutrinas e ainda concedeu a Timóteo poderes para consagrar Bispos e Diáconos. Timóteo tinha grande dedicação a Paulo e sempre o descrevia com admiração e respeito. As relíquias de São Timóteo foram trasladadas para Constantinopla em 356 e curas milagrosas foram reportadas em seu Santuário e confirmadas por São Jerônimo e São João Crisóstomo. Na arte litúrgica da Igreja ele é mostrado como um bispo com um bordão e uma pedra ou 2) é mostrado recebendo uma Epistola de São Paulo ou 3) sendo apedrejado até a morte. Ele é invocado como protetor de problemas estomacais devido ao fato de que Paulo em uma de sua cartas a Timóteo diz: “Não bebas mais água só, mas usa um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades”. Sua festa é celebrada no dia 26 de janeiro. (Na igreja grega é comemorada no dia 22 de janeiro)

São Tito

Tito era um pagão (Atos 18.7) provavelmente em Gortyna, Creta. Convertido por São Paulo foi um companheiro de Paulo para o qual dirigiu uma de suas cartas.Era o preferido de Paulo que refere-se a Titus com “meu verdadeiro filho em nossa fé comum”. Não mencionado nos “Atos dos Apóstolos” ele por outro lado foi muito mencionado no “Galatians” (2:1) onde Paulo escreve de sua jornada a Jerusalém com Barrabás e acompanhado de Titus. Ele era uma espécie de secretário de Paulo e viajou com ele ao Consílho de Jerusalém onde Paulo recusou a permitir que ele fosse circuncidado. Ele foi mais tarde enviado por Paulo para Corintho, Grécia ( 2 Cor 8:6,16-19,23) onde ele, com sucesso, reconciliou os cristãos com Paulo, seu fundador. Tito foi mais tarde deixado na ilha de Creta para organizar a Igreja por lá mas pouco tempo depois ele foi para a Croácia (como escrito em 2 Tim 4:10). De acordo com o historiador Euzébio da Caesarea na “Historia Eclesiástica” ele ordenado por São Paulo como o primeiro Bispo de Creta. Lá serviu por vários anos e faleceu já velho, de causas naturais, em 96DC e foi enterrado em Cortyna. Sua cabeça foi, mas tarde, trasladada para Veneza, durante a invasão de Creta pelos Sarracenos em 832 e foi colocada no santuário de São Marcos em Veneza, Itália. Os gregos e os sírios continuam celebrando a sua festa no dia 25 de Agosto. De acordo com a Martirologia Romana a sua festa era inicialmente celebrada no dia 4 de janeiro e em 6 de fevereiro desde o tempo de Pio IX, até a revisão geral do calendário em 1969/70. Os “Atos de Titus” que não muito confiáveis, foram supostamente escritos por Zenas, o advogado (Titus 3:13), e diz que Titus era um descendente real nascido em Creta e foi para a Judéia na idade de 20 anos após receber um comando divino. Neste mesmo “Atos” ele é mencionado como canhoto. Outras fontes nada confiáveis, mencionam que ele teria nascido em Iconium ou em Corinto. Na arte litúrgica da Igreja ele é mostrado: 1)com a cabeça descoberta com o cajado pastoral, ou 2) com um brilhante e sedutor sorriso. Ainda é mostrado: 3) como um bispo com uma palma, com o leão de São Marcos e com as palavras “Província Candiae” acima de sua cabeça e 4) com raios emanando de sua cabeça. É invocado como padroeiro dos livres pensadores e protetor dos canhotos. No ocidente sua festa é celebrada no dia 26 de janeiro.